O que é a Hipótese da Eficiência de Mercado? Definição e Exemplos

Neste artigo, exploraremos o que é a eficiência de mercado, suas diferentes formas, como ela afeta as estratégias de negociação e as críticas à teoria.

Leia mais

Definindo a eficiência de mercado

A eficiência de mercado é definida como o grau em que os preços de mercado refletem todas as informações disponíveis e relevantes. O termo foi cunhado pela primeira vez pelo economista Eugen Fama em seu artigo de 1970, no qual ele propôs a Hipótese do Mercado Eficiente (EMH).

Leia mais

Sua teoria sugere a ideia de que os preços das ações já levam em consideração todas as informações existentes e são uma representação confiável do verdadeiro valor dos mercados, sendo seus preços sempre "justos". Além disso, afirma que é impossível para os negociadores superarem consistentemente o mercado.

Leia mais

O grau de eficiência do mercado é amplamente debatido no mundo financeiro, a ponto de funcionar quase como um sistema de crenças, com os adeptos da EMH afirmando que o mercado leva em conta todas as informações, e os críticos negando tal infalibilidade. Os defensores da eficiência de mercado forte têm "fé" de que o mercado é puro, e seus preços são realmente representativos do valor, e, portanto, não podem ser superados. Os oponentes da EMH refutam essa ideia. A ideia de eficiência de mercado é ainda dividida em três graus:

Leia mais
  1. Eficiência de mercado em sua forma forte: Esta é a EMH em sua forma mais pura e postula que todas as informações em um mercado, tanto públicas quanto privadas, estão refletidas no preço de um ativo. Os adeptos da eficiência de mercado forte afirmam que até mesmo informações privilegiadas não dariam aos investidores uma vantagem. Eles acreditam que os preços de mercado representam perfeitamente o valor dos ativos subjacentes.
  2. Eficiência de mercado em sua forma semi-forte: Amplamente considerada a forma mais prática da EMH, pressupõe que todas as informações públicas, mas não as informações privadas, estão incorporadas nos preços atuais do mercado. A teoria da eficiência de mercado semi-forte afirma que a análise fundamental e técnica não podem ser usadas para obter ganhos significativos.
  3. Eficiência de mercado em sua forma fraca: A ideia por trás desta forma afirma que os movimentos de preços passados, volume e dados de ganhos não têm impacto nos preços de mercado e não podem ser usados para fazer previsões precisas sobre seus movimentos futuros. Defensores desta forma consideram a análise técnica e os consultores financeiros fundamentalmente inúteis.
Leia mais

De acordo com a Hipótese do Mercado Eficiente, a eficiência de um mercado é determinada pela medida em que os preços refletem todas as informações disponíveis. Portanto, se os mercados forem eficientes, todas as informações serão refletidas nos preços, tornando impossível para um negociador "superar" o mercado, já que os títulos não podem estar subvalorizados.

Leia mais

Apoio à eficiência de mercado

A EMH é uma teoria altamente controversa, com especialistas tanto apoiando quanto a criticando. Em 2009, a Morningstar Inc. conduziu um estudo de dez anos sobre os retornos de gestores de fundos ativos em todas as categorias, que comparou com um compósito de fundos de índice e ETFs.

Leia mais

Eles descobriram que apenas 23% dos gestores de fundos ativos obtiveram sucesso em comparação com gestores que operavam de forma passiva, o que eles consideram como prova da EMH. Uma vez que apenas um quarto dos gestores de ativos conseguia obter sucesso consistente ao longo do tempo, os pesquisadores atribuíram seu sucesso à sorte.

Leia mais

Em 1973, o professor de economia de Princeton, Burton G. Malkiel, publicou o livro "A Random Walk Down Wall Street". A ideia principal do livro era que estimativas de ganhos, análise técnica e serviços de consultoria em investimentos são "inúteis", e uma estratégia de "comprar e manter" é a ideal. Ele afirmou que um macaco vendado não deveria se sair pior do que um suposto especialista em ações. Sua teoria da "Random Walk" é um componente-chave da EMH, já que sugere que os movimentos de preços futuros são impossíveis de prever e são basicamente aleatórios.

Leia mais

Por outro lado, a ideia de um mercado ineficiente sugere que as informações publicamente disponíveis não são refletidas no preço de mercado, e, portanto, os ativos podem estar significativamente sub ou sobrevalorizados. Um exemplo de mercado ineficiente, na prática é o fenômeno das "surpresas de ganhos" no mercado de ações. Isso ocorre quando o anúncio de ganhos de uma empresa contém informações que não são totalmente antecipadas pelo mercado, levando a um movimento de preço significativo e inesperado. Isso fortaleceria a ideia de uma eficiência de mercado em sua forma semi-forte, já que as mudanças de preço refletem informações que se tornam publicamente disponíveis.

Leia mais

Críticas à eficiência de mercado

Tanto quanto há evidências que apoiam a Hipótese do Mercado Eficiente, muitos críticos apontam exemplos e argumentos que a refutam. A validade da teoria tem sido questionada tanto em termos teóricos quanto empíricos.

Leia mais

Warren Buffett é frequentemente citado, já que sua estratégia de negociação, focada em ações subvalorizadas, o tornou bilionário e levou scores de investidores a seguirem seus passos. Se o mercado é eficiente e os preços refletem com precisão o valor, então investidores como Buffett não poderiam superar consistentemente o mercado. Os defensores da EMH explicam o desempenho dos investidores de sucesso como baseado na "sorte".

Leia mais

Também são citados nas críticas à EMH o colapso do mercado de ações de 1987. O Dow Jones caiu mais de 20% em uma reviravolta completamente imprevisível nos eventos do mercado. Bolhas de ativos também apontam para a falta de eficiência de mercado.

Leia mais

Além disso, a EMH não leva em conta o papel das finanças comportamentais, que sugere que os investidores nem sempre agem de forma racional. A hipótese pressupõe que um mercado eficiente é composto apenas por participantes racionais, o que é altamente irrealista, especialmente quando se considera o comportamento às vezes mal-informado de investidores privados ou de varejo.

Leia mais

Eugene Fama, embora tenha desenvolvido a EMH, reconheceu mais tarde que os mercados podem não ser inteiramente eficientes e propôs a Hipótese do Mercado Adaptativo. Isso incorporou as finanças comportamentais em suas teorias originais.

Leia mais

Os laureados com o Prêmio Nobel Robert Shiller e Richard Thaler são figuras proeminentes no campo das finanças psicológicas e comportamentais. Shiller enfatiza o impacto do sentimento e das emoções dos investidores nos movimentos do mercado. A pesquisa de Thaler destaca o papel dos vieses psicológicos na tomada de decisões e desafia a suposição de racionalidade nos participantes do mercado.

Leia mais

Joseph Stiglitz, laureado com o Prêmio Nobel e ex-economista-chefe do Banco Mundial, foi crítico da EMH. Ele argumenta que a assimetria de informações, a concorrência imperfeita e os vieses comportamentais contribuem para as ineficiências de mercado. O trabalho de Stiglitz enfatiza a importância das imperfeições de informações nos mercados financeiros.

Leia mais

Implicações e estratégias para investidores

A ideia de que os preços de mercado sempre refletiriam perfeitamente seu verdadeiro valor tem sérias implicações nas estratégias de investimento. Essencialmente, trata o mercado como infalível, tornando fúteis quaisquer tentativas de superá-lo.

Leia mais

Declara que os movimentos de preços futuros são completamente imprevisíveis, pois já refletem todas as informações relevantes (incluindo eventos futuros de mercado conhecidos, por exemplo). Isso significaria essencialmente que todas as técnicas de análise fundamental e técnica são pura especulação e não baseadas em nenhuma evidência científica.

Leia mais

Os defensores da EMH oferecem abordagens alternativas que superam a eficiência de mercado e levam a negociações bem-sucedidas:

Leia mais
  1. Investimento passivo: Muitos investidores adotam estratégias passivas, como o investimento em fundos de índice, que visa replicar o desempenho de um índice de mercado.
  2. Diversificação: A EMH destaca a importância da diversificação. Uma vez que todas as informações disponíveis são refletidas nos preços, a distribuição de investimentos em vários ativos permite aos negociadores gerenciar o risco.
  3. Foco de longo prazo: Investidores influenciados pela EMH frequentemente adotam um horizonte de investimento de longo prazo. Tentar cronometrar o mercado ou fazer previsões de curto prazo é visto como pouco confiável.
  4. Gestão de risco: Os investidores devem dar maior ênfase às estratégias de gestão de risco, reconhecendo que os mercados são imprevisíveis e eventos inesperados podem afetar os preços dos ativos.
Leia mais

Conclusão

Este artigo explorou a hipótese da eficiência de mercado (EMH), destacando suas diferentes formas e os impactos que ela tem sobre as estratégias de negociação, bem como as críticas que enfrenta. A EMH argumenta que os preços de mercado sempre refletem todas as informações disponíveis, tornando impossível superar consistentemente o mercado. No entanto, essa teoria é altamente controversa, com defensores e críticos.

Leia mais

Apoiando a EMH, estudos mostraram que a maioria dos gestores de fundos ativos não consegue superar o desempenho dos índices de mercado, sugerindo que a sorte desempenha um papel significativo. Por outro lado, críticos apontaram exemplos, como o sucesso de investidores como Warren Buffett, que adotam estratégias contrárias à EMH.

Leia mais

Além disso, a EMH não leva em consideração a influência das finanças comportamentais e as imperfeições de informação nos mercados. Isso levou a teorias alternativas, como a Hipótese do Mercado Adaptativo, que incorporam esses aspectos.

Leia mais

Em termos de estratégias de investimento, a EMH sugere que as tentativas de prever movimentos de preços futuros com base em análise técnica ou fundamental são especulativas. Portanto, defensores da EMH promovem abordagens como investimento passivo, diversificação, foco de longo prazo e gestão de riscos.

Leia mais

Em última análise, a eficiência de mercado continua sendo um tópico de debate no mundo financeiro, e os investidores devem considerar essas teorias e estratégias ao tomar decisões de investimento.

Leia mais

Gostou deste story?

Aproveite para compartilhar clicando no botão acima!

Visite nosso site e veja todos os outros artigos disponíveis!

Notícias